Entenda as causas da queda de cabelo

Os cabelos têm papel importante tanto na aparência e autoestima, quando como indicador da sua saúde física e mental. Por isso, é importante estar atento aos sinais que os fios nos dão, principalmente quando o assunto é queda de cabelo.

A queda de cabelo, por exemplo, pode ser falta de nutrientes, stress, variação hormonal, efeito colateral do uso de medicamentos e etc., por isso é muito importante procurar identificar a causa.

Para poder entender um pouco melhor sobre a queda de cabelo, abaixo listamos os tipos mais comuns de alopecia e suas causas:

Alopécia Androgenética ou Androgênica

Se você é homem e tem calvície, é quase certo que essa seja a causa. Estima-se que grande parte dos homens (cerca de 70%) são ou serão afetados pela alopécia androgenética.  As chances de manifestá-la aumentam com a idade.

Ela ocorre em grande parte nos homens pois tem causa hormonal. Em algumas partes do corpo (como a próstata, testículos, glândulas supra-renais e folículos capilares), uma enzima chamada 5α-redutase (lê-se “cinco alfa redutase”) transforma a testosterona numa versão bem mais forte: o hormônio di-hidrotestosterona (DHT). Ele participa de várias funções relacionadas ao desenvolvimento sexual, como a formação da genitália masculina durante a gestação, o desenvolvimento das características sexuais primárias e secundárias na puberdade e a atividade da próstata no homem adulto.

O problema é que, no couro cabeludo, o DHT promove um enfraquecimento capilar. Os folículos capilares vão diminuindo. A fase de crescimento do cabelo (anágena) fica cada vez mais curta, as fases de descanso (catágena e telógena) se prolongam. Com isso os fios vão se tornando mais finos e ralos, podendo até parar de nascer por completo.

As mulheres também produzem DHT e também são afetas, porém em quantidades muito menores que os homens.

A classificação da intensidade deste tipo de alopecia por ser vista no esquema de classificação de graus abaixo.

Escalas de classificação dos graus de calvície.

A Alopécia pode ser classificada em vários graus. O médico tricologista poderá fazer a classificação adequada.

 

Eflúvio Telógeno

É uma condição que se caracteriza pelo aumento da queda diária de fios de cabelo. Seu aumento é visto principalmente nos fios que se desprendem no banho caem no chuveiro ou fica na escova quando penteamos.

O eflúvio se divide em dois tipos: agudo e crônico.

Eflúvio telógeno agudo

Sua causa está associada a algum evento que aconteceu três meses antes do início da queda. Isso porque o período de preparo para a queda dura de dois a três meses e os fios se desprendem ao final desse ciclo. Esses eventos, ou gatilhos, convertem um percentual maior de fios para a fase de queda. Sendo assim, ao invés de termos 100-120 fios caindo diariamente, temos 200-300 fios, dependendo do paciente e da causa do eflúvio.

Os eventos mais associados à queda são:

Alteração funcionamento da glândula da Tiróide:  Normalmente é o primeiro teste que um médico ou especialista fará a um paciente que sofre de perda de cabelo. Hipotireodismo, Hipertireoidismo e a doenças autoimunes tireoidite de Hashimoto, são exemplos.

Dietas muito restritivas ou má alimentação: Baixo consumo de proteínas, por exemplo, faz com que os cabelos em fase de crescimento passem à fase de repouso. Uma acentuada queda de cabelo pode acontecer dois ou três meses depois dos picos de deficiência nutricional.

Cirurgias: Especialmente a bariátrica, por conta da perda de sangue e do estresse metabólico.

Doenças: Infecção aguda, sinusite, pneumonia, gripe e até febre pode desencadear alteração no crescimento normal do cabelo.

Estresse: É  possível ter queda de cabelo súbita e difusa após uma situação traumática. A perda de um familiar ou alguém próximo, um acidente, violência ou outro qualquer acontecimento traumatizante despoletam problemas de queda de cabelo. Os folículos capilares entram prematuramente na fase de repouso, o que leva a que uma forte queda de cabelo. Quando a situação de stress é ultrapassada ou o corpo se adapta à mesma, o cabelo geralmente volta a crescer.

Medicamentos e drogas: A prescrição de alguns medicamentos pode levar à queda temporária de cabelo. Alguns medicamentos usados para tratar de doenças como: gota, artrite, depressão, problemas de coração, hipertensão ou hipotensão podem provocar queda de cabelo. Se suspeita que algum medicamento que lhe foi prescrito está a provocar-lhe queda de cabelo, procure o seu médico.

Eflúvio telógeno crônico

A fase na qual os fios caem muito, se assemelha à versão aguda. Porém, em longo prazo, é diferente. Há ciclos de aumento dos fios na fase de queda, de forma cíclica, uma ou duas vezes por ano, ou a cada dois anos, dependendo do paciente. Conforme o tempo passa, o paciente fica com o cabelo mais volumoso na base e menos volumoso no comprimento. O cabelo fica mais curto e com o “rabo de cavalo” mais fino.

Se o paciente só tiver essa condição, não ficará com o cabelo ralo no couro cabeludo. Porém, seu problema pode estar associado a outras condições que causam rarefação dos fios. De qualquer forma, se perde muito volume e comprimento. O problema nem sempre tem causa definida, mas sabe-se que está associado a doenças autoimunes, dentre elas, a mais comum é a tireoidite de Hashimoto.

Doses elevadas de vitamina A podem também levar a uma queda de cabelo. Se suspeita que algum medicamento que lhe foi prescrito está a provocar-lhe queda de cabelo, procure o seu médico.

Tudo isso pode interferir na proporção dos fios na fase de queda. Em geral, 70% dos casos têm o agente descoberto. Já nos 30% restantes a causa acaba por não ser definida.

Alopecia Areata

Alopecia areata é uma doença inflamatória que provoca a queda de cabelo. Diversos fatores estão envolvidos no seu desenvolvimento, como a genética e o sistema imumológico. Devido alguns distúrbios o sistema imunológico do corpo age como se os folículos capilares fossem um organismo estranho e ataca-os. O cabelo pare de crescer e entre na fase de telógena (de repouso). Cerca de três meses mais tarde, quando a fase de repouso estiver terminada, o cabelo começa a cair. Só após esse processo acabar que um novo fio de cabelo irá nascer.

Os primeiros sintomas da alopecia areata surgem na forma de uma falha redonda de cerca de 2,5cm de largura. Esta forma de queda de cabelo afeta homens e mulheres e muitas vezes se manifesta pela primeira vez ainda na infância. De acordo com um inquérito feito na América, uma em cada cem pessoas pode vir a sofrer de alopecia areata. Contudo, estima-se que em aproximadamente 20% dos casos a queda de cabelo seja recorrente e se torne permanente.

A alopecia areata tem várias formas, definidas de acordo com o seu grau de gravidade. Estes são:

  • Alopecia areata: pequenas manchas de perda de cabelo no couro cabeludo.
  • Alopecia totalis: perda de cabelo no couro cabeludo.
  • Alopecia universalis: perda de cabelo e de pêlos corporais.

É possível ver muitas vezes a perda de pelos na barba inclusive

Vale ressaltar também que a alopecia areata não é contagiosa.

 

Alopecia por tração

A alopecia por tração tem uma causa muito comum: tração excessiva e contínua sobre o cabelo devido ao uso de penteados ou acessórios que façam tração sobre os fios. Se este tipo de tração for continua e por longos períodos, a queda de cabelo pode tornar-se permanente. O tratamento para a Alopecia por Tração pode ser simplesmente uma mudança de hábito.

 

Dicas CHESS

Vale lembrar que em média termos 100-120 fios caindo diariamente, por isso é normal o cabelo cair.

Como não é possível contar quantos fios estão caindo, nossa dica é prestar atenção na quantidade de cabelo que fica na escova ou que se desprende após lavar ou mexer nos cabelos. Caso essa quantidade aumente muito repentinamente, procure um especialista tricologista.

É muito importante que a alopecia seja tratada como um todo para evitar que o sofrimento que pode ser gerado pela queda contribua ainda mais para o agravamento do caso. É bastante importante fazer um tratamento global (físico e mental) e não só a queda em sí.

Há ótimos produtos para fortalecimento capilar e prevenção da queda que foram desenvolvidos especialmente para os homens.

Utilizá-los diariamente e fazer massagem para estimular o couro cabeludo ajudará a prevenir a queda. Confere aqui:

 

Medita, praticar esportes e cuidar da alimentação também são ótimas dicas. 😉

Quer saber mais dicas e curiosidades sobre cabelo?

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Site Footer