Protetor solar e suas diferenças.

Você sabia que existem tipos diferentes de protetor solar? Neste post desejamos explicar de forma clara e objetiva quais são eles, suas características e benefícios.

Estes protetores têm como objetivo geral atenuar a radiação na pele por absorção, reflexão ou dispersão. Podem ser divididos em dois tipos: físicos e químicos.

Protetor solar FÍSICO.

Também conhecido como bloqueador solar, o mesmo tem como objetivo refletir a luz do sol. Utiliza-se de componentes como o óxido de zinco ou dióxido de titânio.

Ele acaba formando uma camada protetora física por cima de sua pele e pode ser observado sobre a pele pois ele não é absorvido.

Esta proteção tende a ser de alta duração e é muito utilizado em protetores destinados à prática de esportes e esportes aquáticos como surf, standup paddle, canoagem, entre outros.

Outro ponto interessante é que possuem pouco efeito adverso conhecido para a pele e realmente são eficientes em bloquear o raios UV.

Você já conhece o BRAZINCO? Um protetor solar físico, que traz uma proteção incrível para seu rosto! COMPRE JÁ! Click aqui.
Protetor solar QUÍMICO

Os protetores solares químicos contêm um ou mais ingredientes absorventes de UV, após aplicação geralmente absorvem a radiação UVB mais fortemente do que o UVA.

Antes de continuarmos o que vem a ser UVB e UVA, abaixo algumas breves definições.

O que é UVB?

Em poucas palavras é a radiação eletromagnética emitida pelo sol e que é responsável por causar a vermelhidão após algum período de exposição ao sol. Ele também e responsável por danos cumulativos e não visíveis logo após a exposição como o câncer de pele.

O que é UVA?

É a radiação ultravioleta que penetra mais profundamente a pele e são responsáveis tanto pelo bronzeado quando por danificar as células da epiderme causando, por exemplo, o envelhecimento precoce e o câncer de pele. Esse tipo de radiação também é a usada em câmeras de bronzeamento e devido aos malefícios esses equipamentos foram proibidos.

O protetor solar químico é geralmente não é perceptível após aplicação, o que faz com que sua atenção seja redobrada para reaplicação do mesmo,

Por entrar em contato diretamente com sua pele e serem absorvidos podem acarretar em reações adversas. Porém, certamente a eficácia de proteção é válida.

Embora a maioria dos protetores solares sejam fabricados para atenuar a incidência de raios UV. Alguns possuem aditivos como bergamota, um exemplo apenas, que visam melhorar o bronzeado da pele. Um ponto sempre delicado e bastante discutidos entre os químicos e farmacêuticos.

Fato é que que usado corretamente, o protetor solar é efetivo na prevenção do eritema, ou seja, da vermelhidão. No entanto, muitos estudos estão em andamento para que se prove a eficácia contra alterações imunológicas nocivas, fotoenvelhecimento ou câncer de pele ou sobre seus potenciais efeitos adversos a longo prazo.

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Site Footer