A história do barbear e dos tipos das barbas

Os métodos de barbear mudaram significativamente ao longo da história, e o padrão das barbas e bigodes mudaram com eles.

Fazer ou não a barba ao longo do tempo foi determinado culturalmente, em alguns casos com base na religião, outros pelas guerras e ou simples preferência pessoal.

Ao longo das história as barbas foram consideradas algo que demonstrava impureza, sinais de divindade, símbolos de força e até mesmo características de um homem de elite ao longo dos séculos.

Devido aos barbeadores e lâminas, mais homens abraçaram a facilidade de um estilo de vida sem barba. Apesar disso a moda atual é manter a barba, mas claro, bem cuidada.

Dê uma olhada em como as culturas dos antigos, sejam eles os egípcios ou os mais recentes da monarquia francesa, decidiram manter suas barbas.

Calendário histórico em diversas culturas
NA HISTÓRIA ANTIGA
  • 30.000 A.C.: Há evidências arqueológicas de barbear com conchas, que foram usadas ​​como pinças ou com navalhas de pedra Flint. Uma espécie de primeira máquinas de barbear descartável, sendo afiado o suficiente para permitir que um homem se raspasse, com rápida recuperação da pele.
  • 3000 A.C.: As navalhas de cobre chegaram na Índia e no Egito.
  • 3000-332 A.C.: Os antigos nobres egípcios raspavam a cabeça e o corpo porque valorizavam a falta de cabelo, embora os homens (e às vezes as mulheres) usavam também barbas artificiais como sinal de divindade.
    Perucas também já eram comuns, mas como proteção para o sol.
  • 2900-500 A.C.: Governantes e elites da Mesopotâmia usavam barbas, que eram sinais de masculinidade e força.
  • 1500-1200 A.C.: Os túmulos escandinavos contêm máquinas de barbear de bronze, elaboradas com alças em forma de cabeças de cavalos.
  • 800-600 A.C.: Os antigos gregos achavam a barba muito importante e apenas cortaram durante os tempos de luto. Perder a barba era muito vergonhoso. Os jovens não podiam cortar o cabelo até crescer a barba, e ainda sacrificavam suas primeiras barbas para o deus Apollo.

  • 400-300 A.C.: Alexandre o Grande estava barbeado e encorajou os seus soldados para que tirassem também, pois as barbas poderiam ser pegas por inimigos no combate “mão a barba”.
  • 300 A.C.: Os jovens romanos celebraram seu primeiro barbear em festas com presentes que simbolizam a transição para a idade adulta. Nesta época alguns já visitavam barbeiros ou tinham seus “criados” para ajudá-los a se barbear. Ao contrário dos antigos gregos eles deixam a barba crescer quando de luto.
  • 50 A.C.: Júlio César arrancou os cabelos da barba, e muitos homens romanos seguiram o exemplo.
  • 100.: O Imperador romano Adriano reviveu o crescimento das barbas em toda Roma.
Idade Média

As barbas entraram e saíram de moda conforme os hábitos dos homens relevantes. O rei inglês Henrique VII não usava barba e Henrique VIII usava barba e eles ditaram a moda da época.

  • 1500: Muitos protestantes em manifestação contra o catolicismo usavam barbas (a maioria dos sacerdotes estava barbeada).
  • 1770: O barbeiro francês Jean-Jacques Perret publicou: A Arte de Aprender a se Barbear (La Pogonotomie). O Perret Razor foi inventado como uma medida de segurança com uma proteção de madeira para segurar a lâmina de barbear no lugar e evitar cortes profundos.

  • 1789-1861: Os primeiros 15 presidentes dos EUA não tinham barba.
  • 1800: As máquinas de barbear de aço eram bem populares. Os homens tiveram que esfregar a lâmina contra uma correia geralmente de couro ou lona, ​​chamada de punção, para realinhar a borda fina do metal e remover qualquer imperfeição antes de cada barbear. As lâminas também precisavam ser afiadas periodicamente pelos barbeiros.
  • 1861-1913: Começando com Abraham Lincoln, que foi aconselhado por uma pequena menina  a cultivar a barba, todo presidente até William Howard Taft usava barba (exceto Andrew Johnson, que foi acusado e William McKinley, que foi assassinado). No Reino Unido as barbas deveriam ser cuidadosamente mantidas durante a era vitoriana, período do governo da Rainha Vitória.
  • 1895: O King Camp Gillette inventou e começou a vender lâminas de barbear descartáveis. Que hoje virou praticamente sinônimo de barbear.

  • 1928: Jacob Schick inventou a navalha elétrica.
  • 1930: Os militares dos EUA proibiram a barba porque impediam a utilização de máscaras de gás.
o barbear nos Tempos modernos
  • 1990: J. Ann Reed e Elizabeth Blunk escreveram um artigo chamado The Influence of Facial Hair on Impression Formation onde destacavam que o homem que usava barba passava uma percepção consistentemente mais positivas de atratividade social/física, personalidade, competência e compostura.
  • Presente: Os homens Amish se barbeiam até se casarem e depois nunca mais e bigodes são proibidos. Já os Judeus, seguem Leviticus 19:27, proibindo-os de rasparem “os cantos da barba”.

Por fim, a maioria dos homens decide se deseja ou não barbear com base em preferências pessoais, mas a facilidade e a conveniência de barbear atraíram mais homens para se barbear constantemente.

Tem barba e deseja mantê-la saudável? Temos uma infinidade de produtos no shop da MEN CHESS, da um pulo lá.

Kit The Braves – 06 produtos especiais, para o cabelo e barba! Shop now.

Quer saber mais sobre barba, confira nossa matérias especiais na categoria Cosméticos | Barba.

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Site Footer